História

Institucional

Como Tudo Começou...

Num passado distante, os fiéis do bairro da Fazenda Velha, católicos fervorosos, precisavam se dirigir à cidade vizinha de Itapetininga (percorrendo cerca de 40 km) para a prática da fé, participando da Santa Missa naquela cidade. 
Era preciso que se construísse uma capela para abrigar os devotos cristãos, moradores que, nos finais das décadas do século XIX, formavam uma pequena população. 
Em escritura particular de 2 de abril de 1884, Sra. Thereza Augusta Nogueira Teixeira, uma das filhas do sertanista Tenente Urias, fez a doação de terra para que nela se erguesse a Capela de São Miguel Arcanjo da Fazenda Velha. “Em tempo declaro que faço esta doação com a condição de nunca ser vendida e quando seja, o produto empregue-se na mesma Capela” (Livro do Tombo da Paróquia). 
Conta-se, pela tradição oral, que a generosa irmã da doadora, Sra. Maximina Ubaldina Nogueira Terra, mandou construir, pela sua fé inabalável e pela devoção a São Miguel Arcanjo, a primeira capelinha onde foi entronizada a imagem do glorioso Arcanjo e Padroeiro do lugar, por ela doada. 
Foi esse o embrião da cidade que hoje tem por nome este tão forte padroeiro e que abriga a Basílica a ele dedicada. 
O nome SÃO MIGUEL ARCANJO foi oficializado através da lei Nº 58, de 12 de maio de 1887. Assim, elevou-se o bairro Fazenda Velha à condição de Freguesia. 
A população crescia e preenchia todos os espaços da Capelinha para louvar e agradecer a Deus nas missas dominicais. Os fiéis solicitaram Provisão das autoridades eclesiásticas constituídas para elevação da Capela à condição plena de Paróquia. No dia 11 de janeiro de 1886, por Provisão do Bispado de São Paulo, foi erigida, então, canonicamente, a PARÓQUIA DE SÃO MIGUEL ARCANJO. 
No dia 9 de novembro de 1886, tomou posse, oficialmente, com Provisão do Bispado da Imperial cidade de São Paulo, como vigário da Paróquia de São Miguel Arcanjo, o Padre Vicente Gaudinieri, italiano, que recebeu como missão e foi encarregado para os serviços da Igreja, onde lhe fora dada a oportunidade de fazer o bem aos cristãos pobres e humildes e que, segundo ele, viviam longe da assistência espiritual. 
Achando-se ainda sem bênção a Capela, agora Matriz da Nova Freguesia de São Miguel Arcanjo, provida de Pároco na pessoa do Padre Vicente Gaudinieri, no dia 19 de novembro de 1886, D. Lino Deodato, Bispo Diocesano de São Paulo, autorizou ao Padre Vicente que procedesse à Bênção da nova Matriz (prescrita no Rituali Rommanum, a 30/12/1886) com Missa Solene. 
No dia 1º de abril de 1889, sob a proteção do Padroeiro SÃO MIGUEL ARCANJO, a cidade foi emancipada politicamente tornando-se Município de SÃO MIGUEL ARCANJO. 
Assim, o povo são-miguelenses é agradecido a Deus por pertencerem à ÚNICA cidade do Brasil que leva o nome do GUARDIÃO DO PARAÍSO, do nosso Padroeiro SÃO MIGUEL ARCANJO! 
O Padre Vicente Gaudinieri, 1º Pároco de São Miguel Arcanjo, esteve entre nós de 1886 a 1889. Outros por aqui passaram por poucos anos também. Deixaram saudade nos corações São-miguelenses. 
No dia 13 de janeiro de 1913, deu-se a Posse, em nossa igreja, ao Monsenhor Henrique Volta. Nascido em Novellara, Província italiana de Reggio Emília, permaneceu conosco por um longo período de mais de 19 anos, até 16 de abril de 1932. Seu título de Monsenhor foi-lhe concedido pelo Papa Pio X. Realizou o trabalho de pastoreio com fé de apóstolo e com zelo e carinho de pai. 
Estimado por todos, deixou marcas, como a reforma da Capela. Adquiriu, com a ajuda dos fiéis, a nova imagem de São Miguel Arcanjo hoje colocada no alto da torre da igreja, de frente para a Praça da Basílica, abençoando e protegendo-nos! 
No dia 1º de dezembro de 1944, foi lançada a PEDRA FUNDAMENTAL da nova Igreja Matriz. As obras iniciaram-se no dia 2 de janeiro de 1945. 
Nomeou-se Padre Humberto Ghizzi como novo Pároco. A posse deu-se no dia 1º de janeiro de 1945. Durante o seu paroquiato, foi dado início ao trabalho da construção da nova Igreja Matriz. 
No dia 6 de fevereiro de 1947, foi nomeado o novo Pároco: Padre Francisco Ribeiro. Dedicou-se extremamente à parte espiritual dos paroquianos, ao social e, da mesma forma, com ímpeto, à continuidade da construção da nova Igreja Matriz. Generoso, simples e humilde, mas firme no propósito de concluir a Matriz, cativou a todos, e todos deixaram-se ser cativados e empenharam-se na construção: quermesses, leilões, festas, doações, serviços, rifas, campanhas… e a igreja ia se levantando! Com o passar dos anos, surgia, imponente e bela, a Matriz, considerada o cartão-postal da cidade, com sua alta torre visualizada de longe. 
As obras de engenharia foram concluídas em 18/11/1952. O Sr. Bispo Diocesano, Dom José Carlos Aguirre, agradeceu ao Dr. Renato Scoponi, engenheiro que projetou a construção sem cobrar honorários, fazendo de forma generosa um trabalho de maestria para encher nossos olhos com a beleza majestosa de nossa Matriz. Logo foram adquiridos os sinos, os relógios, os capitéis e painéis, as colunas, altar-mor, escadaria, piso, arcos, mesa da comunhão, sacristia… 
No Mês de fevereiro de 1962, foram totalmente concluídas as obras da Matriz, iniciadas em janeiro de 1945, levando 17 anos de construção. 
Sua arquitetura é “Néo-Gótica” e causa admiração em todos os visitantes. Essa bela arquitetura é referencia em toda a região e como disse Dom Jose Carlos de Aguirre, Bispo Diocesano de então, na Festa de Cristo Rei em 30 de Outubro de 1960, “a Matriz de São Miguel Arcanjo é um dos mais suntuosos templos de nossa Diocese”. Na área externa temos a torre como destaque principal com 31 metros tendo a cobertura em forma de pirâmide, as colunas com seus detalhes, a rosácea no centro da torre principal, as janelas com seus vitrais e a imponente nave principal. Na área interna, a nave é composta por suas colunas tipo “corintia” e os arcos formando grandes abóbodas, que são interligadas. Esses detalhes caracterizam bem as construções néo-goticas realizadas no Brasil, no século passado.

Santuário Diocesano

Dezenas de outros Párocos foram nomeados para dirigirem nossa Paróquia. Todos são merecedores de nossa gratidão por deixarem suas marcas, suas contribuições para nossa igreja, para nosso município. No dia 03 de novembro de 2012, tomou posse como Pároco o Padre Márcio Giordany Costa de Almeida, que, com seu jeito simples, organizado e motivador, tem realizado um excelente trabalho de evangelização nesta cidade. 
Durante muitos anos, a comunidade católica São-miguelense sonhava com a elevação da nossa Matriz à condição de SANTUÁRIO! Outros padres deram alguns passos importantes nesse processo. 
A partir do dia 29 de abril de 2013, foi instituído o Dia Votivo a São Miguel Arcanjo, em todo dia 29 de cada mês, onde celebramos a Santa Missa em três horários: às 9h, onde rezamos em especial pela saúde dos Enfermos; às 12:30h, onde rezamos em especial pelos Falecidos; e às 19:30h, onde rezamos em especial pelas Famílias. Nesses dias, em especial, a igreja fica repleta de devotos de nossa cidade, de cidades vizinhas e até mesmo de outros Estados. Vêm para agradecer, rezar, suplicar, ou fazer o turismo religioso, que se torna muito forte! 
Ficamos admirados com a devoção de tantos que vêm em peregrinação, dos bairros e de outras cidades, vindos de ônibus, em excursões, de moto e de bicicleta, ou a cavalo e, mais ainda, à pé, andando centenas de quilômetros! É grande a devoção, e se torna cada vez maior, ao nosso GUARDIÃO DO PARAÍSO!
Uma tradição propagada há muitos anos aqui em nossa Paróquia, mas desde 2013 passada a ser realizada na Igreja com a presença de fiéis, é a Quaresma de São Miguel Arcanjo, que inicia sempre no dia 15 de agosto, seguindo tradição Franciscana, e finaliza no dia 28 de setembro. Nesse período de aproximadamente 40 dias nos colocamos diante de nosso glorioso Padroeiro e nos preparamos para celebrar o grande dia, 29 de setembro, dos Arcanjos Miguel, Rafael e Gabriel. 
Toda essa caminhada culminou na elevação de nossa Igreja Matriz à condição de Santuário Diocesano. 
Em maio de 2013 o Pe. Márcio Almeida apresentou ao Bispo Diocesano, Dom Gorgônio Alves da Encarnação Neto, CR, esse pedido, justificando que esse sentimento existia no coração do povo são-miguelense há muitos anos. Disse também que já havia uma vida própria de Santuário, com peregrinações e missas votivas. Por fim, disse que o município tinha uma característica turística relevante devido aos parques de Mata Atlântica e a Rota da Uva, e que o turismo religioso estava crescendo e que o título de Santuário poderia fortalecer o município. Assim, Dom Gorgônio acolheu este pedido e no dia 21 de setembro de 2013 realizou-se o RITO DE DEDICAÇÃO DO TEMPLO A DEUS e a ELEVAÇÃO DA IGREJA MATRIZ A SANTUÁRIO! 
A Divina Providência escolheu o Paroquiato do Padre Márcio Almeida para nos agraciar com a realização de um SONHO há anos SONHADO: sermos SANTUÁRIO DE SÃO MIGUEL ARCANJO, única cidade no Brasil a ter seu nome como o do ARCANJO MIGUEL. Bendizemos a Deus pela graça! Somos eternamente gratos ao Padre Márcio por não desanimar, buscar com fé e esperança e a certeza de que seríamos SANTUÁRIO! Nossa Paróquia, nossa Igreja Matriz, Igreja Viva, Templo Santo do Senhor, tomada de emoção pelos atos de Dedicação e Elevação a Santuário, com fé renovada, aplaudiu calorosamente a graça por nós recebida de Deus Pai, de sermos, agora, SANTUÁRIO DE SÃO MIGUEL ARCANJO… 
Para acolher bem os visitantes e devotos de São Miguel Arcanjo, o Santuário precisou passar por uma adequação de sua estrutura física. Foram construídos: uma gruta dedicada a São Miguel Arcanjo, na praça ao lado da Igreja; um amplo velário, no lado externo do Santuário, onde os devotos podem acender suas velas todos os dias; um banheiro grande e adaptado à realidade; e, por fim, o Espaço Devotos de São Miguel Arcanjo, contendo Museu de Arte-Sacra resgatando a história da Paróquia, uma sala de Exvotos, loja com artigos religiosos e cafeteria. 
No museu, respira-se história com exposição de material e objetos usados nas Celebrações: imagens, opas dos Irmãos do Santíssimo, paramentos do Cônego Francisco, Missal Romano, Cruz do altar, pálio usado na procissão do Corpo de Cristo; castiçais, turíbulo, âmbula, Círio Pascal, cálices, fita da Cruzada, estandarte de Nossa Senhora e da Paróquia de São Miguel Arcanjo, quadro da Via Sacra (tudo da Capela Velha); na Sala dos Exvotos, muitos depoimentos de graças alcançadas, de milagres concedidos por Deus através da intercessão de São Miguel Arcanjo, fotos de pessoas que receberam os milagres; peças que representam a devoção e confiança de nosso povo, como asas de anjinhos apresentadas por pais e mães em gratidão por seus filhos, etc. 
Em 2016 nosso Santuário foi presenteado com duas belíssimas RELÍQUIAS: a do Papa SÃO JOÃO PAULO II e a de SÃO CAMILO DE LÉLIS, gentilmente ofertadas pelo Padre Luís Armando, natural de São Miguel Arcanjo, pertencente à Congregação de São Camilo de Lélis e residente em Valência, na Espanha. Na entronização das relíquias, em Missa Solene, disse o Pe. Luis Armando: “Estou muito feliz em ver as maravilhas que estão acontecendo em nossa Igreja que agora é Santuário. Ela merece esse presente!”. 
Mas a nossa história não para por aí… O Senhor quis mais para nossa Igreja!

Elevação a Basílica Menor

Os sinos badalaram no início da tarde do dia 21 de junho de 2018 no Santuário São Miguel Arcanjo. Foi a chegada de uma boa nova para os fiéis são miguelenses e de toda a diocese de Itapetininga, que celebrava, então, seus 20 anos. O Vaticano concedeu o título de Basílica Menor ao Santuário de São Miguel Arcanjo! O pároco e reitor, Pe. Márcio Almeida, em uma transmissão ao vivo em seu perfil pessoal no facebook, anunciou a notícia aos fieis. “Hoje para nós é um dia de imensa alegria”, exclama.

No dia 25 de maio, o Cardeal Robert Sarah (dir.eita na imagem), prefeito da Congregação para o Culto Divino e a Disciplina Sacramental, assinou o decreto de concessão do título de Basílica Menor à Igreja Santuário de São Miguel Arcanjo. O decreto, assinado pelo Cardeal, diz: 

“A concessão deste título a esta importante Igreja, intensificando o vínculo com esta Igreja Particular e a Igreja de Roma, é um incentivo a promover a sua exemplaridade como verdadeiro centro de ação litúrgica e pastoral da diocese”.

A Missa de Instalação de Basílica Menor aconteceu no dia 01 de setembro de 2018, foi presidida por Dom Gorgônio Alves da Encarnação Neto, CR, bispo da Diocese de Itapetininga-SP, e contou com a presença do Arcebispo de Sorocaba, Dom Júlio Endi Akamine, do Bispo de Itapeva, Dom Arnaldo Carvalheiro Neto, bem como diversos padres, diáconos, seminaristas das Dioceses da Província e um grandioso número de fiéis devotos de São Miguel Arcanjo.
De acordo com Pe. Márcio, o pedido de Concessão do Título foi enviado pelo bispo diocesano, D. Gorgônio, em 2 de janeiro de 2018 ao Vaticano. Na sequência, a Congregação para o Culto Divino e a Disciplina Sacramental solicitou que se respondesse a um minucioso questionário para avaliar se o Santuário atendia aos critérios necessários para ser elevada à Basílica Menor. O reitor conta que entre os documentos, estavam: medidas do prédio e de suas partes internas, história da Igreja, descrição da vida religiosa, fotos, vídeos, documentos de comprovação, entre outros dados. Tudo isto foi entregue na Congregação pelo Pe. Márcio no dia 11 de abril de 2018 em audiência particular com o Monsenhor Aurélio Garcia, assessor do Cardeal Robert Sarah, na Congregação responsável.

 

A Basílica Menor é uma Igreja Papal, uma extensão do Vaticano, e torna-se uma Igreja que oferece graças especiais, que somente estas podem oferecer. Conforme o decreto “Domus Ecclesiae”, os fiéis que visitam uma Basílica podem obter a Indulgência Plenária, observando as condições habituais (confissão sacramental, comunhão eucarística e oração pelas intenções do Santo Padre), em datas especiais. Na Basílica de São Miguel Arcanjo foram estabelecidas as seguintes datas:

  • Uma vez ao ano no dia estabelecido pelo Ordinário local (01 de janeiro);
  • No dia do aniversário da concessão do título de Basílica (25 de maio);
  • Na solenidade dos Santos Pedro e Paulo apóstolos (29 de junho);
  • No dia do aniversário da dedicação da Basílica (21 de setembro);
  • No dia da celebração litúrgica do patrono (29 de setembro);
  • Uma vez ao ano no dia livremente escolhido pelo fiel.

No templo, estão também dispostos quatro sinais visíveis que distinguem uma Basílica: o Brasão do Vaticano na cadeira do presidente; a Umbela Papal (o guarda-chuva com as cores do Vaticano e os brasões do Vaticano, do Papa, do Bispo diocesano, da Basílica, do reitor e da cidade); o Tintinábulo (espécie de sino dentro do brasão do vaticano) e a Virga Rubra (brasão do Vaticano com cabo vermelho rubro que estabele o ritmo das procissões de rua).
Somos imensamente gratos a Deus por tantas maravilhas realizadas em nossa Igreja nos últimos anos… sabemos que a titulação de Basílica Menor é fruto de uma caminhada que se iniciou com a construção da primeira capela e que sempre teve o envolvimento dos fiéis… Que Deus nos abençoe e São Miguel Arcanjo nos proteja para sermos sempre uma Igreja evangelizadora.

contato@basilicasaomiguelarcanjo.org.br

Praça Tenente Urias, Centro - São Miguel Arcanjo - SP CEP 18.230-000

Basílica de São Miguel Arcanjo 2019. Tosoa os direitos Reservados.

Facebook Twitter Instagram YouTube