8 coisas que você não sabia sobre Padre Pio

São Padre Pio marcou a vida das pessoas do seu tempo com suas orações, confissões, conversões e curas, de modo que até os dias de hoje se fala de sua fama de santidade com ardor. Com a simplicidade e a humildade de um servo de Deus, ele reuniu multidões em torno de si.
As pessoas viajavam quilômetros, vinham de países vizinhos, até San Gionvanni Rotondo onde ele viveu boa parte de sua vida sacerdotal. Este sacerdote que ainda em vida já era reconhecido como santo, faleceu em 1968.

A igreja onde ele exerceu o ministério sacerdotal depois da sua morte foi elevada a Santuário dedicado a ele. Logo, atualmente, continua recebendo peregrinos, mas agora do mundo inteiro e em número cada vez maior.
Neste local os peregrinos também podem visitar sua cela conventual e a cripta que guarda o seu corpo incorrupto.

O Papa Paulo VI ao falar de Padre Pio afirmou que ele arrastava multidões não porque era sábio ou filósofo, “mas porque rezava a Missa humildemente”. Padre Pio, ele insiste, foi “um homem de oração e de sofrimento”.
Quer entender melhor quem foi Padre Pio? Então conheça 8 fatos sobre a sua vida.

#1 Passava horas no confessionário atendendo confissões

São Padre Pio pertencia à Ordem dos Frades Menores Capuchinhos. Nascido na Itália em 1887, ele foi ordenado sacerdote em 1910.

Ele costumava dedicar muitas horas do dia e até da noite para atender a confissão daqueles que se sentiam tocados por suas palavras.

Não poucas vezes permaneceu por cerca de 14 horas dentro do confessionário, sem sair dele nem para se alimentar, devido à grande multidão que o procurava.
Foi por isso que o Papa João Paulo II, que o declarou santo em 2002, falou que Padre Pio “foi um generoso dispensador da Misericórdia Divina”.

Segundo São João Paulo II, mesmo quando Padre Pio tratava o povo com severidade suas palavras surtiam efeito: “eles, tomando consciência da gravidade do pecado e arrependendo-se sinceramente, voltavam quase sempre atrás para o abraço pacificador do perdão sacramental”.

#2 Tinha o dom da bilocação

A bilocação é um dom concedido por Deus aos místicos e compreende a presença simultânea de uma pessoa em dois lugares diferentes.

Padre Pio é um dos santos da Igreja que foram agraciados com este dom. Várias testemunhas oculares o viram em lugares diferentes em bilocação, enquanto ao mesmo tempo ele estava na sua comunidade religiosa. 

Em diferentes ocasiões foi visto nos Estados Unidos, em Roma, em Milão e lugares espalhados pela Europa, enquanto na verdade ele estava no convento de San Gionvanni Rotondo.

#3 Recebeu os estigmas de Cristo

Podemos dizer que uma das motivações para que Padre Pio recebesse os estigmas aconteceu no dia da sua ordenação sacerdotal. Nesse dia, ele preparou um pequeno “santinho” como lembrança no qual escreveu à mão que queria ser como Jesus: “um sacerdote santo e uma vítima perfeita”. 

Logo depois disso, era comum Padre Pio fazer a oferta de si mesmo para Deus para obter a conversão dos pecadores e a purificação das almas no purgatório.

Certo dia, em resposta a isso, o Senhor concedeu-lhe os estigmas de Cristo nas mãos e nos pés, enquanto rezava debaixo de uma árvore.

Ficando confuso com aqueles sinais, ele suplicou a Deus para que os sinais visíveis desaparecessem e deixassem apenas a dor, o que aconteceu por alguns anos.

Porém, em 20 de setembro de 1918, logo depois que ele celebrou a Missa, os estigmas voltaram a se tornar visíveis e assim permaneceram ao longo de sua vida, até vésperas do seu falecimento, quando desapareceram milagrosamente. 

#4 Padre Pio tinha filhos espirituais

Ao longo de sua vida sacerdotal Padre Pio adotou diversos “filhos espirituais” que são fiéis que desejavam ter sua orientação e proteção.

A eles, Padre Pio advertia para que se comportassem dignamente pois ele não queria “passar vergonha perante Deus”.

Aos seus filhos espirituais ele escrevia longas cartas, orientando-os à luz da Palavra e dando conselhos para que se esmerassem no caminho da santidade.

#5 Viveu grandes perseguições

A fama de santidade de Padre Pio não era vista com bons olhos por todos. Ele foi perseguido inclusive por membros da sua Ordem e pelo bispo local.

Além disso, reclamações e acusações falsas chegaram até Roma e, na época, o Santo Ofício chegou a condená-lo.

Padre Pio também sofreu muitas investidas do demônio que, sabendo do seu dom de despertar a conversão nas pessoas, queria destruí-lo.

No entanto, ele aceitou essas perseguições e provações com profundo amor à Igreja.

#6 Precisou viver um tempo recluso

São Pio Pio costumava dizer de si mesmo “sou um simples frade que reza”. Contudo, a partir de 1919 a notícia dos seus estigmas se espalhou rapidamente, o que aumentou consideravelmente o fluxo de peregrinos na sua paróquia.

O assédio a ele era muito grande. Somado a isso pesava contra ele as falsas denúncias e o ódio de alguns que se deixavam levar pelas inspirações do maligno.

Como resultado disso tudo, em 1923 a Igreja ordenou que Padre Pio não celebrasse mais a missa em público e que não atendesse mais a confissões dos fiéis.

Desta maneira ele passou 10 anos em reclusão e somente em 1933 voltou a celebrar a Missa publicamente. No ano seguinte ele obteve permissão para voltar a atender confissões. 

#7 Tinha o dom da profecia e alertou São João Paulo II

Quando ainda era padre, São João Paulo II foi até San Giovanni Rotondo para conhecer e se confessar com o Padre Pio.

Para a sua surpresa, Padre Pio profetizou que o jovem sacerdote seria Papa e ainda o alertou: “vejo sangue e martírio em sua vida”.

#8 Construiu um hospital para os pobres

Em San Giovanni Rotondo, Padre Pio fundou um hospital que funciona até hoje. Ele conseguiu isso arrecadando doações depois da II Guerra Mundial.

O hospital foi inaugurado em 1956 com o nome de Casa Sollievo della Sofferenza (Casa Alívio do Sofrimento) e tornou-se referência em toda a Europa.

Comentário

Your email address will not be published.Required fields are marked *

Facebook Twitter Instagram YouTube