A Importância do rito da Santa Missa

“Uma Santa Missa tem mais valor que todos os tesouros do mundo”. Com essas palavras, São Leonardo de Porto Maurício descreve a grandeza da Santa Missa! Ela não pode ser mensurada, nem há definição que seja suficiente para explicá-la, mas pode ser contemplada por cada cristão em qualquer parte do mundo.

A Igreja ainda afirma, através do  Concílio  Vaticano  II,  que  o  sacrifício  eucarístico  é  “fonte  e  ápice  de  toda  a  vida cristã”. Assim, na  Santíssima  Eucaristia,  está  contido  todo  o  tesouro  espiritual  da  Igreja,  isto  é,  o próprio  Cristo,  a  nossa  Páscoa  e  o  pão  vivo  que  dá  aos  homens  a  vida  mediante  a  Sua  carne  vivificada  e vivificadora  pelo  Espírito  Santo.

Portanto, a Santa Missa é a maior riqueza deixada por Cristo para sua Igreja. Mas você sabe qual a importância do rito da Santa Missa e como ela está organizada? Preparamos este post para explicar e deixar você mais apaixonado (a) por esse acontecimento.

“A Igreja vive da Eucaristia”

Com essa frase, São João Paulo II inicia sua encíclica sobre a Eucaristia, escrita em 2003, e define a Sagrada Comunhão como núcleo central do mistério da Igreja.

Mas o que significa Eucaristia? Essa palavra significa “ação de graças”, ou seja, Eucaristia é ação de graças por excelência, da qual participamos e onde elevamos à Trindade o maior de todos os louvores.

Logo, a Eucaristia é o ápice da santa missa e essa é o rito completo que nos leva a viver esse mistério.

A Santa Missa nas Sagradas Escrituras

Onde e quando aconteceu a primeira missa da história? Vamos visitar as Sagradas Escrituras e descobrir esta resposta.

Segundo a tradição da Igreja, a primeira Eucaristia celebrada aconteceu no cenáculo de Jerusalém quando Jesus reuniu seus apóstolos para a última ceia.

“Tomai,  todos,  e  comei:  Isto  é  o  meu  Corpo  que  será  entregue  por  vós” (cf.  Mt  26, 26;)   

“Tomai, todos,  e  bebei:  Este  é  o  cálice  do  meu  Sangue,  o  Sangue  da  nova  e  eterna  aliança,  que  será  derramado  por vós  e  por  todos  para  remissão  dos  pecados.” (cf.  Mc  14,  24;)

Com essas palavras, Jesus instituiu a Sagrada Comunhão. Ele deu pão e vinho aos seus apóstolos e pediu que realizassem aquele ato em memória Dele. Logo após esse momento, Ele entregou-se por completo na Cruz – doando seu corpo e sangue para toda humanidade e assim aconteceu a primeira Missa.

Como está organizado o rito da Santa Missa

Uma vez que a Eucaristia é o ápice da celebração de nossa fé, até chegarmos a esse momento, precisamos nos preparar com atenção e zelo.

Assim, a Igreja, como boa mãe e pedagoga, organizou o rito da Santa Missa de forma que possamos viver cada momento com amor e piedade até chegarmos à fila da comunhão para recebermos o Senhor na Eucaristia.

A Santa Missa é organizada em quatro ritos: Ritos iniciais, Rito da Palavra, Rito Eucarístico e Ritos finais.

1. Ritos Iniciais

A Missa inicia com o povo reunido e o canto para entrada do presidente da celebração. Segue a Saudação Inicial, o Ato Penitencial, o Hino de Louvor (em Festas, Domingos e Solenidades) e a Oração da Coleta.

2. Rito da Palavra ou Liturgia da Palavra

Primeira Leitura, Salmo Responsorial, Segunda Leitura (Domingos e Solenidades), Aclamação ao Evangelho, Proclamação do Evangelho, Homilia, Profissão de Fé (Domingos e Solenidades) e Oração da Comunidade.

3. Rito Eucarístico ou Liturgia Eucarística

Ofertório (preparação do altar com o pão e o vinho), Oração sobre as Oferendas, Oração Eucarística, Pai Nosso, Cordeiro de Deus, Distribuição da Comunhão e Oração Pós-Comunhão.

4. Ritos Finais

Mensagem, Comunicados da Comunidade, Bênção Final e envio.

Cada momento apresentado acima é fundamental e nos prepara para chegarmos ao centro da nossa fé: O mistério pascal. Na hora da consagração, que se dá no rito Eucarístico, o sacerdote através das orações, torna Cristo presente como naquele primeiro dia com seus apóstolos. Assim, acontecem a paixão, morte e a ressurreição de Cristo em um único evento, só que sem derramamento de sangue como da primeira vez.

Após esse momento da consagração, o pão e o vinho se tornam o Corpo e o Sangue de Cristo e o sacerdote proclama: “Eis o mistério da fé”, então nós respondemos: “Anunciamos, Senhor, a vossa morte e proclamamos a vossa ressurreição, vinde Senhor Jesus.” 

Há uma torrente de graças neste momento, por isso devemos acompanhar atentos, de olhos bem abertos, cada palavra e gesto realizados pelo sacerdote, porque é o Cristo que se entrega novamente por nós.

Eis o mistério da fé

Por toda importância que a Eucaristia tem e tudo que a Santa Missa significa em vista dela, nos diz São João Paulo II “A  Igreja  vive  continuamente  do  sacrifício  redentor,  e  tem  acesso  a  ele  não  só  através  duma  lembrança cheia  de  fé,  mas  também  com  um  contato  atual,  porque  este  sacrifício  volta  a  estar  presente, perpetuando-se,  sacramentalmente,  em  cada  comunidade  que  o  oferece  pela  mão  do  ministro  consagrado.”

Sendo assim, somos peregrinos a caminho do céu e, até chegarmos lá, a Eucaristia traz esse céu para nós. Portanto, ao participarmos da missa, estamos experimentando o céu aqui, esperando o dia quando Cristo será tudo para nós e não haverá mais sofrimento, muito menos dor e estaremos todos unidos em torno do Senhor Ressuscitado.

Falamos sobre a importância da Santa Missa. Agora convidamos você para participar conosco deste momento tão especial através da nossa programação mensal!

Missa na Basílica

  • Terça a Sexta-Feira às 17h
  • No Sábado às 19h
  • No Domingo às 7h, 9h, 11h e 19h

Dia Votivo – Dia 29 de cada mês

  • Missa às 9h – pela saúde.
  • Missa às 12h30 – pelos aos falecidos.
  • Terço da Misericórdia e Coroa de São Miguel às 15h
  • Missa às 19h30 – pelas famílias.
  • Quando o dia votivo cair num Domingo, segue a programação de Missas Dominicais da Basílica.

Comentário

Your email address will not be published.Required fields are marked *

Facebook Twitter Instagram YouTube