Com Maria à espera do nascimento do Menino Jesus

Jesus é a estrela do nosso Natal! Mas, antes do seu nascimento, durante o Advento, é na companhia da Santíssima Virgem Maria que somos convidados a passar os dias.

Por quê? Simplesmente porque a Virgem Maria foi a primeira a viver este momento. O seu ventre foi o primeiro santuário a abrigar o Menino Jesus.

Foi neste santuário que o Filho de Deus foi adorado por primeiro, pela própria Virgem que o gerava e por São José, homem puro de coração e casto, escolhido para ser seu pai adotivo.

A palavra Advento vem do latim “advenire”, e significa “chegada”, “aproximação”, “vinda”.

Neste sentido, passamos o tempo do Advento na expectativa de reviver o nascimento Daquele que veio ao mundo para nos salvar, enquanto reforçamos nossa fé na sua segunda vinda.

O Advento é um tempo essencialmente Mariano

A melhor forma de vivermos o Advento é caminhando com Maria a cada dia das 4 semanas que antecedem o Natal, e com ela buscar nossa santificação.

Com a Virgem Maria aprendemos a gerar Jesus Cristo em nosso coração. Precisamos gerá-Lo em nosso interior para sermos capazes de gerar Jesus na vida de tantos batizados que ainda não tiveram a experiência do encontro com Cristo, que restaura nossas vidas.

Jesus quer ser acolhido por todos, quer fazer morada em cada coração!

Assim como Maria levou ajuda à sua prima Isabel, tendo Jesus em seu ventre, nós temos a missão de socorrer o irmão, tendo Jesus em nosso coração.

Certamente na companhia da Virgem Maria estaremos mais preparados para levar Jesus àqueles que encontramos no cotidiano de nossas vidas.

Seja em nossa casa, entre os amigos, no trabalho, na comunidade, na rua ou até mesmo nas redes sociais, é sempre possível levar Jesus. É sempre possível dar testemunho de uma vida ressignificada a partir do Seu amor.

As festas Marianas no tempo do Advento

Não por coincidência, mas certamente pela Providência Divina, durante o tempo do Advento a Igreja Católica celebra duas Festas Marianas. São elas: A solenidade da Imaculada Conceição, em 8 de dezembro, e Festa de Nossa Senhora de Guadalupe, em 12 de dezembro.  

Essas duas celebrações litúrgicas marianas podem nos ajudar na preparação para bem recebermos o Senhor.

Virgem Imaculada

A Solenidade da Imaculada Conceição de Maria entrou no calendário litúrgico da Igreja em 1477. Quase 400 anos depois, em 1854, o Papa Pio IX publicou uma bula para proclamar a Imaculada Conceição de Maria como um dogma da fé da Igreja Católica.

Neste documento, Pio IX afirma:

“A doutrina que sustenta que a beatíssima Virgem Maria, no primeiro instante da sua Conceição, por singular graça e privilégio de Deus onipotente, em vista dos méritos de Jesus Cristo, Salvador do gênero humano, foi preservada imune de toda mancha de pecado original, essa doutrina foi revelada por Deus, e por isto deve ser crida firme e inviolavelmente por todos os fiéis”

(Ineffabilis Deus).

O Catecismo da Igreja Católica ensina que “para vir a ser Mãe do Salvador, Maria foi adornada por Deus com dons dignos de uma tão grande missão” (CIC 490); e que aquela que foi escolhida para ser Mãe do Salvador, “foi remida de um modo mais sublime, em atenção aos méritos de seu Filho” (CIC 492).

Ao aproximar-se de Maria no momento da anunciação, o Arcanjo Gabriel refere-se a ela como “cheia de graça” (Lc 1,28).

Para que Jesus fosse gerado no seu corpo, era necessário que ela estivesse completamente livre de pecado.

“Mais que toda e qualquer outra pessoa criada, o Pai a «encheu de toda a espécie de bênçãos espirituais, nos céus, em Cristo» (Ef 1,3). N’Ele a escolheu antes da criação do mundo, para ser, na caridade, santa e irrepreensível na sua presença

(CIC 492).

A Virgem de Guadalupe

Em 1531 Nossa Senhora apareceu para Juan Diego, um índio asteca convertido ao catolicismo.

Na aparição, Nossa Senhora se apresentou a ele: “Eu sou a sempre Virgem Maria, Mãe do verdadeiro Deus

por quem se vive”.

A Imagem da Virgem de Guadalupe que o mundo conhece foi estampada de maneira milagrosa no poncho de Juan Diego. Duas características chamam atenção:

1.      O cabelo de Nossa Senhora está solto sob o manto. Para o povo asteca, mulher com cabelos soltos simbolizava a virgindade.

2.      A Virgem traz à cintura um laço, que fica um pouco escondido debaixo de suas mãos. Esse era o sinal usado pelas mulheres astecas para indicar que estavam grávidas.

Como passar o Advento na companhia de Maria?

A nossa fé tende a ser fortalecida com a prática de devoções marianas.

Para passar as 4 semanas na companhia da Virgem Maria, você pode rezar a novena da Imaculada ou da Virgem de Guadalupe.

Mas, se possível, procure rezar o Terço Mariano todos os dias. Ao falar sobre a importância que a oração do Rosário tem para o católico, São João Paulo II indicou:

“Podemos incluir, nas dezenas do Rosário, todos os fatos da nossa vida, da família, da nação, da Igreja e da humanidade. Acontecimentos pessoais e do próximo, daqueles que nos são mais familiares e que mais estimamos. A oração do Rosário marca o ritmo da vida humana”

(Carta Apostólica Rosarium Virginis Mariae).

Não importa qual oração você escolha para este período, o mais importante é você meditar o grandioso mistério de Deus que preservou a Virgem Maria de todo pecado para poder gerar seu Filho.

Que a Imaculada Virgem de Guadalupe nos ajude a gerar Jesus em nosso coração!

Comentário

Your email address will not be published.Required fields are marked *

Facebook Twitter Instagram YouTube