5 coisas para aprender com Santa Catarina Labouré sobre Nossa Senhora das Graças

Quis a Virgem Maria, no ano de 1830, trazer uma nova mensagem aos seus filhos. Para isso, ela escolheu uma jovem religiosa, Santa Catarina Labouré, da Congregação das Filhas da Caridade, para revelar-se como Nossa Senhora das Graças.

No total foram 3 aparições que aconteceram na França: a primeira no dia 19 de julho, a segunda em 27 de novembro e a última em dezembro de 1830. A revelação mais importante das mensagens da Virgem se deu em 27 de novembro, por isso neste dia se comemora a Festa de Nossa Senhora das Graças e a memória de Santa Catarina Labouré.

Temos muito o que aprender sobre a Virgem das Graças. Abra seu coração e surpreenda-se com essa Mãe amorosa.

1.  Nossa Senhora ouve e atende os mais sinceros desejos

A jovem Santa Catarina Labouré nutria desde a infância uma piedosa devoção e um fervoroso amor pela Virgem Maria. Tanto que logo que perdeu sua mãe, com apenas 9 anos de idade, a menina decidiu tomar por sua mãe e protetora ninguém menos do que a Mãe de Deus! Em seu coração ela desejava ardentemente ver a Virgem Maria e seu pedido foi atendido na noite de 19 de julho. 

Seu anjo da guarda veio lhe acordar para lhe trazer certamente uma das notícias mais esperada em sua vida: “Irmã Labouré! Venha para a Capela! A Santíssima Virgem te espera!”.

O testemunho de Santa Catarina fortalece em nosso coração a certeza de que Nossa Senhora ouve nossas sinceras preces e atende nossos desejos, se estiverem de acordo com a vontade de Deus!

2. Para os tempos difíceis, buscar Jesus Eucarístico

Logo na primeira aparição, Nossa Senhora das Graças fala a Santa Catarina sobre calamidades que aconteceriam na França. A religiosa anotou as palavras da Virgem:

“O tempo atual é muito ruim. Calamidades vão se abater sobre a França. O trono será derrubado. O mundo inteiro se verá transtornado por males de todo tipo”.

Dito isso, Nossa Senhora das Graças, deixou-nos por meio de Santa Catarina um conselho que vale para todos os tempos e dificuldades:

“Mas venham ao pé deste altar: aí as graças serão derramadas sobre todas as pessoas, grandes e pequenas, particularmente sobre aquelas que as pedirem com confiança e fervor”.

É ao pé do altar que encontramos Jesus Eucarístico, o alimento da nossa alma, o Rei dos rei a quem devemos adorar.

3.  O mundo está sob os cuidados de Maria

A segunda aparição de Nossa Senhora das Graças, em 27 de novembro de 1830, revela-nos que o mundo está sob seus cuidados.

Naquele dia, Catarina rezava com as outras religiosas na capela, quando percebeu a Virgem se aproximando.

 “Ela trazia uma esfera de ouro que representava o globo terrestre. Seus olhos estavam voltados para o Céu…  Seu rosto era de uma incomparável formosura. Eu não saberia descrevê-lo…”

 A religiosa ainda anotou:

“Percebi em seus dedos anéis revestidos de belíssimas pedras preciosas, cada uma mais linda que a outra, algumas maiores, outras menores, lançando raios para todos os lados, cada qual mais estupendo que o outro. Além disso, das pedras maiores partiam os mais magníficos fulgores, alargando-se à medida que desciam, o que enchia toda a parte inferior do lugar”.

Santa Catarina Labouré ouviu de Nossa Senhora: “Estes (raios) são o símbolo das graças que Eu derramo sobre as pessoas que me pedem”.

Como dito, ela teve a compreensão de que o globo terrestre representa o mundo inteiro e cada pessoa em particular, que estão sob os seus cuidados maternos.

 4. A medalha de Nossa Senhora das Graças é um presente

Foi também na 2ª aparição que Nossa Senhora das Graças deixou-nos um presente.

Logo que teve a visão descrita acima, em torno de Nossa Senhora, formou-se uma gravura ovalada com uma inscrição com letras douradas: “Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a Vós”.

Neste instante, Nossa Senhora das Graças estava apresentando à religiosa a medalha milagrosa.

No verso da medalha, Santa Catarina vê uma cruz e abaixo dela o M de Maria. No fundo ela vê 2 corações, um coroado de espinhos e o outro perfurado por uma espada e rodeado por 12 estrelas, que representam respectivamente o Sagrado Coração de Jesus e o Imaculado Coração de Maria.

Em seguida, a Virgem pediu: “Faça uma medalha de acordo com este modelo”. E fez uma promessa:

 “Todos os que a usarem, trazendo-a ao pescoço, receberão grandes graças.  Estas serão abundantes para aqueles que a usarem com confiança”.

5.   Maria deseja nos dar graças mesmo senão pedimos

Tem ainda algo que chama atenção nas aparições de Nossa Senhora das Graças. Quando a Virgem explicou à religiosa que os raios que ela via representam as graças, ainda fez uma revelação surpreendente:

“Os raios mais espessos correspondem às graças que as pessoas se recordam de pedir. Os raios mais finos correspondem às graças que as pessoas não se lembram de pedir. Tenho muitas e muitas graças para dar à humanidade, mas as pessoas não me pedem”.

Disso podemos compreender que causamos dor no Coração de Maria quando deixamos de nos entregar em suas mãos e lhe pedir com confiança aquilo que necessitamos.

Na medalha milagrosa, Nossa Senhora das Graças tem os braços abertos para nos recordar de que ela está sempre pronta para nos acolher como filhos e nos entregar as bênçãos dos céus!  

Busquemos em Nossa Senhora a força que precisamos para estes tempos, sem deixar de alimentar nossa alma com Jesus Eucarístico, como ela nos recomenda. 

Nossa Senhora das Graças, rogai por nós!

Comentário

Your email address will not be published.Required fields are marked *

Facebook Twitter Instagram YouTube