A mensagem de Nossa Senhora das Graças

As aparições de Nossa Senhora das Graças remontam ao início do século XIX, na França. A Virgem Maria fez 3 aparições à Santa Catarina Labouré, uma jovem religiosa da Congregação das Filhas da Caridade.

As aparições aconteceram nos dias 19 de julho, 27 de novembro e em dezembro de 1830.

Em cada uma das aparições, Nossa Senhora deixou-nos mensagens que, apesar de quase dois séculos depois, se mantêm atuais. Isso porque a Virgem trata de assuntos como desordens sociais, políticas e perseguições religiosas.

Conhecer as mensagens de Nossa Senhora das Graças, que tiveram grande significado naquele momento, é importante para a vivência da nossa fé.

As mensagens de Nossa Senhora 

Em 19 de julho, dia de São Vicente de Paulo – o Fundador da Congregação a que pertencia Santa Catarina Labouré – aconteceu a primeira aparição de Nossa Senhora das Graças. Foi neste dia que a Virgem fez revelações sobre tempos difíceis.

A jovem religiosa desejava muito ver a Virgem Maria com seus próprios olhos e rezou pedindo essa graça.

Todas as irmãs já dormiam quando Santa Catarina foi acordada pelo seu anjo da guarda que lhe disse: “Irmã Labouré! Venha para a Capela! A Santíssima Virgem te espera!”.

A religiosa acompanhou aquele anjo que a conduziu até a capela. Lá ela teve a confirmação do que havia escutado. Seu sonho, de fato, se tornara realidade.

A Virgem Maria logo sentou-se na cadeira que o diretor da comunidade costumava ocupar. Catarina prostrou-se ao chão, apoiando suas mãos nos joelhos de Nossa Senhora.

Naquele primeiro encontro que durou quase duas horas, Nossa Senhora revelou a Santa Catarina, entre outras coisas, que grandes calamidades e perseguições aconteceriam na França. Ele anotou a revelação da Virgem Maria:

“O tempo atual é muito ruim. Calamidades vão se abater sobre a França. O trono será derrubado. O mundo inteiro se verá transtornado por males de todo tipo (a Santíssima Virgem tinha um ar muito entristecido ao dizer isso). Mas venham ao pé deste altar: aí as graças serão derramadas sobre todas as pessoas, grandes e pequenas, particularmente sobre aquelas que as pedirem com confiança e fervor. O perigo será grande, porém não deves temer: Deus e São Vicente protegerão esta Comunidade”.

Na segunda aparição (27 de novembro de 1830) à Santa Catarina Labouré, a Virgem Maria pediu que a religiosa mandasse fazer uma medalha de acordo com o que ela via.    

“Todos os que a usarem, trazendo-a ao pescoço, receberão grandes graças. Estas serão abundantes para aqueles que a usarem com confiança”, prometeu Nossa Senhora das Graças.

Na terceira e última aparição (dezembro de 1830), a religiosa viu Nossa Senhora entregando um globo, que representa o mundo, a Jesus. E das mãos dela jorrava uma forte luz. Santa Catarina explicou: “Estes raios são símbolo das graças que a Santíssima Virgem obtém para as pessoas que Lhes pedem. Estava eu cheia de bons sentimentos, quando tudo desapareceu como algo que se apaga. E fiquei repleta de alegria e consolação”.

O cumprimento das revelações de Nossa Senhora das Graças

Provavelmente não foi surpresa para Santa Catarina os fatos que aconteceram a seguir. Uma semana depois daquela visita abençoada da Virgem Maria, em Paris teve início a Revolução de 1830 que causou desordens sociais e políticas. O Rei Carlos X foi destronado e por todo aquele país levantaram-se manifestações violentas e incontroláveis contra a Igreja Católica pela Europa. Igrejas foram profanadas, cruzes foram derrubadas, comunidades religiosas foram invadidas, devastadas e destruídas. Sacerdotes e religiosos foram perseguidos e martirizados.

Contudo, também a promessa de proteção da Virgem se cumpriu: as congregações fundadas por São Vicente de Paulo – os Padres Lazaristas e as Filhas da Caridade – não foram atingidos pelas ondas de violência.

A mensagem da Virgem é sempre atual

Quase 200 anos se passaram e a perseguição aos cristãos segue sendo atual em várias partes do mundo. Igrejas continuam sendo queimadas, inclusive na França.  

Contudo, é na mensagem de Nossa Senhora das Graças que podemos encontrar consolo. Na Virgem encontramos socorro.

É como se Nossa Senhora nos dissesse todos os dias:

“venham ao pé deste altar: aí as graças serão derramadas sobre todas as pessoas, grandes e pequenas, particularmente sobre aquelas que as pedirem com confiança e fervor”.

Continuemos, diariamente, dobrando nossos joelhos e clamando a proteção de Nossa Senhora. A Eucaristia é o altar onde devemos buscar as graças que necessitamos, é o nosso sustento em meio as tribulações da vida.

As aparições de Nossa Senhora à Santa Catarina nos revelam que a Mãe do Céu atende aos desejos mais puros do nosso coração.

Santa Catarina desejou ardentemente ver a Virgem e teve seu pedido atendido.

Também reforça em nosso interior a certeza da presença de Nossa Senhora conosco, pois ela prometeu cuidar de cada um de nós e nos conceder as graças que necessitamos.

Comentário

Your email address will not be published.Required fields are marked *

Facebook Twitter Instagram YouTube