Consagrados, força e espiritualidade na evangelização

Hoje, 2 de fevereiro, dia em que a Igreja celebra a Festa da Apresentação do Senhor, recorda-se também o dia da Vida Consagrada. Os consagrados são aqueles que apontam para o mundo que a vida pode ser diferente, como uma prefiguração do Eterno.

Muitos se questionam, como é possível alguém encontrar a alegria na renúncia dos projetos e planos pessoais? O fato é que esses planos, muitas vezes, são até lícitos, mas não correspondem com a Vontade de Deus para a vida daqueles que foram chamados, eleitos para uma vocação específica.

O mundo, ao olhar para os consagrados, enxerga essas escolhas como uma grande loucura, e, de fato, é loucura de Amor! Loucura para os homens e sabedoria de Deus. Cada vez mais o mundo precisa de autênticos testemunhos como esses. 

Homens e mulheres, que mesmo com medos e desafios, se abandonam e confiam na voz Daquele que os chamou e os elegeu, que nadam contra a corrente e correm para anunciar ao mundo a Boa Nova. 

A Boa Nova de que Cristo Vive e te quer vivo! É Ele a nossa esperança, e a mais bela juventude deste mundo! Tudo o que Ele toca se torna jovem, se torna vivo e se enche de vida. ( Christus Vivit 1)

A cada um, o Senhor inspira uma forma diferente de viver este chamado, seja ele contemplativo, missionário, caritativo, religioso ou leigo, cada um contribui para tornar mais bela a Igreja e sua missão no mundo. Dessa forma, os consagrados são uma importante força na missão, sobretudo na espiritualidade evangelizadora.

O chamado à Vida Religiosa Consagrada

É muito provável que ao falarmos a respeito dos consagrados, a sua primeira associação seja com os religiosos, afinal essa é uma das formas que alguém pode abraçar a vida consagrada.

As mulheres e homens chamados para esta opção de vida são conhecidos como irmã, irmão, freira, frei, religioso, religiosa, frade. Estão agregados em várias Ordens, Congregações, Sociedades e Institutos. Residem em conventos, mosteiros, casas religiosas, casas paroquiais.

Além disso, ao dizer sim a Deus e Sua vontade, estes homens e mulheres entregam suas vidas para viver o seguimento total a Cristo, amando-O e servindo-O no outro, através dos conselhos evangélicos de castidade, pobreza e obediência. 

Para cada Carisma, Deus inspira uma forma própria de contribuir no serviço a Igreja  e a sociedade. Seja por meio da educação, saúde, caridade, apostolado, cada um que recebe este chamado encontra nessa forma de vida e de serviço a sua plena realização pessoal. 

“Quem sabe ver, antes de tudo, a graça de Deus, descobre o antídoto para o desânimo e o olhar mundano.” Papa Francisco

Os consagrados são resposta para a humanidade, pois suas vidas apontam a gratuidade da eleição de um Deus que se faz próximo, acolhe, ama e perdoa com infinita misericórdia. 

Cada pessoa é uma missão nesta terra e descobrir qual é a sua missão é conhecer a si mesmo, na profundidade do seu ser. É enxergar que a vida vai muito mais além daquilo que o mundo propõe.

Por isso que, quando uma pessoa se aproxima de um consagrado e escuta o seu testemunho, percebe que entre ela e o outro não há diferença alguma. 

Por trás dos hábitos, dos sinais visíveis dessa eleição, encontra-se alguém igualmente imperfeito, mas que escolheu colaborar com a graça de Deus. E isso torna possível também para aquele que escuta, viver uma vida diferente, abraçar uma vocação, apesar de suas fraquezas.

A dimensão carismática da vida consagrada

Na Carta Luvenescit Ecclesia a Congregação para a Doutrina da Fé apresenta a relação entre dons hierárquicos e carismáticos para a vida e a missão da Igreja. 

Sendo os primeiros aqueles conferidos pelo Sacramento da Ordenação (episcopal, sacerdotal e diaconal), enquanto os dons carismáticos são livremente distribuídos pelo Espírito Santo.

Segundo o documento, a dimensão carismática nunca pode faltar à vida e à missão da Igreja. Como dons de importância irrenunciável para a vida e a missão eclesial, portanto, os carismas autênticos devem ter “abertura missionária”, “necessária obediência aos Pastores” e “imanência eclesial”.

O consagrado está sempre em missão e procura em seu dia a dia configurar-se a Cristo. Em sua dimensão carismática, esse caminho pode ocorrer até mesmo no ordinário de uma vida comum, em meio a atividades familiares e profissionais, por exemplo.

Tudo isso seguindo a inspiração do Espírito Santo para o carisma de cada comunidade e movimento, que a exemplo das primeiras comunidades cristãs procuram viver uma vida compartilhada colocando os bens e dons recebidos do Senhor em comum. 

As duas dimensões tornam-se portanto complementares e em meio a vida fraterna tornam-se reflexo da misericórdia de Deus! A vida dos consagrados pouco diz respeito a eles mesmos, mas aponta para Aquele que os elegeu. 

E você, já pensou em consagrar a sua vida a Deus? Comente aqui embaixo, compartilhe este conteúdo com alguém!

Comentário

Your email address will not be published.Required fields are marked *

Facebook Twitter Instagram YouTube