Por que ser devoto de São José?

“Meu glorioso São José, em vossas maiores aflições o anjo não vos valeu? Valei-me, São José”. É assim que se reza no mundo, em várias línguas. Mas por que ser devoto de São José?

Antes de tudo, devoção significa admiração a algo ou alguém. Como católicos, nós trazemos o exemplo dos santos e santas que amaram muito a Deus e nos deixaram um caminho aberto para imitá-los. 

Ora, são muitos os exemplos de santidade. Há um catálogo com mais de 20 mil homens e mulheres virtuosos, reconhecidos publicamente pela Igreja. Porém, não é possível ter devoção a todos, mas estamos cercados por uma nuvem de testemunhas que intercedem por nós.

No entanto, entres tantos santos, há aqueles a quem nós somos confiados até sem querer, porque foram escolhidos para uma missão particular. Logo, não somos seus devotos, mas filhos e filhas.

Entre eles, encontramos São José, o castíssimo esposo de Nossa Senhora. “Depois de Maria, a Mãe de Deus, nenhum Santo ocupa tanto espaço no magistério pontifício como José, seu esposo”. Este post é sobre ser devoto de São José.

Origem de São José, o devoto do Filho de Deus

“E, depois do cativeiro da Babilônia, Jeconias gerou Salatiel. Salatiel gerou Zoro­babel. Zorobabel gerou Abiud. Abiud gerou Eliacim. Eliacim gerou Azor. Azor gerou Sadoc. Sadoc gerou Aquim. Aquim gerou Eliud. Eliud gerou Eleazar. Eleazar gerou Matã. Matã gerou Jacó. Jacó gerou José, esposo de Maria, da qual nasceu Jesus, que é chamado Cristo” (Mt 1,12-16).

José não é um personagem de uma peça de ficção. Ele traz consigo uma história que é anterior a ele, ou seja, ele é uma figura histórica, descendente da linhagem dos patriarcas. Era um homem de tradição e observador da lei judaica.

Portanto, mais que um praticante da lei, era um homem justo, como dizem as Escrituras. E a justiça na bíblia é sinônimo de misericórdia, portanto José era um praticante da misericórdia, que excede a toda lei, sem, no entanto, contrariá-la.

Por isso, ele quis deixar Maria em segredo quando soube de sua gravidez de um filho desconhecido, para que Ela não fosse apedrejada. Mas, a Providência Divina sabia que podia contar com São José como guardião do Salvador.

Deus Pai o escolheu 

“Com coração de pai: assim José amou a Jesus, designado nos quatro Evangelhos como “o filho de José”. Essas são palavras do Papa Francisco que se refere a São José como o pai de coração de Jesus.

Ora, imaginemos Deus-Pai escolhendo o guardião de Seu Filho na terra! Com certeza, Ele escolheria pelo coração, pela beleza interior, assim como fez com Davi – eleito segundo o coração e não pela aparência (cf. 1Sm 16,7).

Portanto, São José tinha as virtudes necessárias para desempenhar o papel de pai adotivo do Filho de Deus. Entre elas, a docilidade, a escuta interior da voz de Deus e a resposta firme aos pedidos Dele.

Por 4 vezes o anjo o visitou em sonhos (cf. Mt 1, 20; 2, 13.19.22) e ele escapou das armadilhas contra o Salvador. Quem teria condições de obedecer a um sonho se não tivesse intimidade suficiente com a história de seu povo e com o próprio Deus?

Patrono da Igreja   

O Papa Francisco, em 2020, presenteou o povo de Deus com uma carta em honra a São José pelo aniversário dos 150 anos da declaração dele como Patrono da Igreja Católica.  Neste documento, ele se refere ao santo como pai amado, terno, acolhedor, corajoso.

Em 1870, Papa Pio IX deu-lhe o título de Patrono da Igreja. E seu sucessor, Pio XII, acrescentou o dia 1º de maio como festa de São José Operário em homenagem aos trabalhadores e confiou-os a um santo pai de família, também operário.

Em sua ladainha, há uma invocação que diz: São José, terror dos demônios! Por certo, aquele que defendeu o Filho de Deus das armadilhas de satanás, não defenderia sua esposa, a Igreja e consequentemente os filhos dela!?

Protetor da vida religiosa e preferido dos santos

A vida consagrada tem em São José o modelo do santo castíssimo e protetor de suas congregações. E os devotos de São José sabem que ele sempre foi o querido da maioria dos santos. Por isso, selecionamos algumas frases para comprovar este zelo: 

“O que Jesus negaria a São José, que nunca lhe negou nada durante sua vida mortal na terra?”  – Santo Agostinho

Ele (São José) nunca pregou, mas entregou a vida inteira ao serviço de Jesus e morreu em seus braços. Se Jesus chorou por Lázaro, como não terá chorado pela morte de São José.”  – São Pedro Julião Eymard

“Que santo ou anjo mereceu ser chamado pai do Filho de Deus? São José teve essa honra.” –  São Basílio

Pai providente do trabalhadores e dos devotos

“Não é este o filho do carpinteiro?” (Mt 13,55). Não é de hoje que a sociedade reconhece alguém pelo que faz ou pelo que tem. Se São José era conhecido como carpinteiro – um ofício nobre na época – deveria se destacar pelo seu trabalho.

Portanto, ele ensinou Jesus a trabalhar e a praticar honestamente este ofício. Como pai de família, ele ensina a lutar pelo pão de cada dia, a não se esquecer do dever de trabalhar e a reconhecer que todo trabalho é digno quando é realizado na justiça e no direito.

Sendo assim, São José é o pai dos trabalhadores e providente da família. Os devotos de São José sabem o quanto podem contar com sua intercessão na hora de procurar um trabalho e também de prover as necessidades da família.

Faça sua própria experiência como devoto 

Há, em Montreal, no Canadá, a maior Basílica construída em honra a São José, fruto da devoção de um humilde religioso, Irmão André CSC, que juntou moedas cortando cabelo de alunos da escola, onde ele era porteiro, para levantar o primeiro oratório. 

Desde modo, o que aconteceu no coração deste simples religioso, com certeza, aconteceu na vida de muitos homens e mulheres que ergueram igrejas, obras sociais e congregações dedicadas a São José no mundo inteiro.

Sem dúvida, a obra de devoção começa no coração de cada pessoa, ela nos leva a Jesus Cristo e ergue um homem espiritual dentro de nós. Portanto, assim como a Virgem Maria cuida de nós, da mesma forma, temos o cuidado de São José.

Dessa forma, na terra seremos socorridos e no céu amparados por quem teve a morte mais reconfortante de todas, ao lado de Maria e Jesus, e é também o padroeiro da boa morte. São José, rogai por nós.

Comentário

Your email address will not be published.Required fields are marked *

Facebook Twitter Instagram YouTube