Rito Quaresmal: um caminho para a própria conversão

A Quaresma é um tempo de escuta da Palavra de Deus, de conversão, de preparação, de reconciliação com Deus e com os irmãos. É também um tempo que nos convida a maior intensidade de oração, de jejum e da caridade.

Durante a Quaresma, somos convidados a buscar um sentido mais profundo para a nossa vida. São dias nos quais devemos dar mais importância à nossa espiritualidade do que aos lazeres triviais que roubam nossa atenção e afastam nosso coração de Deus.

Além disso, nestes dias, devemos aproveitar para refletir sobre nossas próprias ações, nossos acertos e erros como cristãos. 

Na Quaresma, devemos cooperar com a graça de Deus, para dar morte ao homem velho que atua em nós. Assim, devemos buscar romper com o pecado que habita em nossos corações, nos afastar de tudo o que nos separa do Plano de Deus, e por conseguinte, de nossa felicidade e realização pessoal.

40 dias de riqueza espiritual

A Quaresma é um dos quatro tempos fortes do ano litúrgico e isso deve ser refletido com intensidade em cada detalhe de sua celebração. 

Quanto mais forem acentuadas as suas particularidades, mais frutuosamente poderemos viver toda sua riqueza espiritual, a começar pelos cantos, que precisam ser totalmente distintos dos habituais e devem refletir a espiritualidade penitencial, própria deste tempo.

A estrutura do Rito Quaresmal

O rito quaresmal faz uma distinção entre “Quaresma dominical”, e a “Quaresma das feiras”.

Na “Quaresma dominical” os cinco primeiros domingos formam como que uma unidade e contrapõem-se ao último domingo – Domingo de Ramos, que forma uma unidade nas feiras da Semana Santa e inclusive com o Tríduo Pascal.

Já na “Quaresma ferial”, as quatro primeiras semanas estão centradas sobretudo na conversão e na penitência. E nas duas últimas semanas, sobrepõe-se a contemplação da Paixão do Senhor, a qual se fará ainda mais intensa na Semana Santa.

Na primeira semana da Quaresma, portanto, são sublinhados os aspectos de conversão por meio das orações, dos prefácios, das preces e dos cantos da Missa.

A partir da quinta semana, centra-se mais a atenção na cruz e na morte de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Por meio do Rito Quaresmal é que somos conduzidos à conversão pessoal, que consiste em passarmos do pecado à santidade; assim avançamos cada vez mais rumo à Páscoa do Senhor, onde, com Ele, passamos da morte à vida. 

As Missas dominicais no tempo da Quaresma

As leituras dominicais de Quaresma têm uma organização própria. Vejamos!

A primeira leitura tem neste tempo de Quaresma uma intenção bem definida: apresentar os grandes temas da História da Salvação para preparar o grande acontecimento da Páscoa do Senhor. Neste ano de 2022, Ciclo C, temos:

– Moisés e o povo eleito (primeiro domingo).

– Abraão, pai dos fiéis (segundo domingo).

– O Êxodo e Moisés (terceiro domingo).

– A Páscoa na Antiga Aliança (quarto domingo).

– Os profetas e as suas mensagens (quinto domingo).

– O Servo de Yahvé (domingo de Ramos).

Nos anos do Ciclo A, a primeira leitura dos 5 domingos concentra-se respetivamente nestes temas: Deus criou o homem para a felicidade e para a vida plena; Abraão: o homem de fé, que vive numa constante escuta de Deus e por isso modelo do crente que percebe o projeto de Deus; Yahvé acompanhou a caminhada dos hebreus pelo deserto e responde às necessidades do seu Povo; a escolha de David para rei de Israel e a sua unção; a nova vida que Yahvé oferece ao Seu povo exilado.

Nos anos do Ciclo B se centram sobretudo no tema da Aliança (com Noé, com Abraão, com Israel, o exílio, o novo louvor anunciado por Jeremias).

No sexto domingo ou domingo de Ramos, invariavelmente, se proclama o canto do Servo de Yahvé, por Isaías.

Estas etapas representam uma volta à fonte: a história das ações salvíficas de Deus, que preparam o acontecimento central: o mistério Pascal do Senhor Jesus. 

A segunda leitura está pensada como um complemento dos grandes temas da História da Salvação e da preparação evangélica para a Páscoa de Nosso Senhor Jesus Cristo. 

Portanto, nas segundas leituras de cada domingo são apresentados temas espirituais, relativos ao processo de fé e conversão e a concretização moral dos temas quaresmais: a fé, a esperança, o amor, a vida espiritual, os filhos da luz e outros.

A leitura do Evangelho tem também sua coerência independente ao longo das seis semanas da Quaresma:

– Primeiro domingo: o tema das tentações de Jesus no deserto, lidas em cada ciclo, segundo seu evangelista; o tema dos quarenta dias, o tema do combate espiritual.

– Segundo domingo: a Transfiguração, lida também em cada ciclo segundo o próprio evangelista; de novo o tema dos quarenta dias (Moisés, Elias, Cristo) e a preparação pascal; a luta e a tentação levam a vida.

– Terceiro domingo, quarto e quinto: apresentação dos temas catequéticos da iniciação cristã: a água, a luz, a vida.

No Ciclo A: os grandes temas batismais de São João: a samaritana (água), o cego (luz), Lázaro (vida).

No Ciclo B: tema paralelos, também de São João: o Templo, a serpente e Jesus Servo.

No Ciclo C: temas de conversão e misericórdia: iniciação a outro Sacramento quaresmal-pascal: a Penitência.

Sexto domingoa Paixão de Jesus, cada ano segundo seu evangelista (reservando a Paixão de São João para a Sexta-feira Santa).

Normas litúrgicas do Rito Quaresmal

Durante a Quaresma, omite-se o “Aleluia” em toda celebração. Além disso, a Igreja não deve ser adornada com flores.

Aos domingos se omite o hino do “Glória”. Este hino diz-se apenas nas solenidades e festas.

Antes da proclamação do Evangelho, tanto nas Missas do domingo como nas solenidades, festas e feiras, o canto do “Aleluia” deve ser substituído por alguma outra aclamação a Jesus Cristo. 

Saibamos aproveitar as graças do Tempo Quaresmal. Que cada um abra seu coração para se despojar de si mesmo e de suas paixões para amar mais genuinamente a Jesus Cristo!

Programação da Basílica de São Miguel Arcanjo na Quaresma 

Missas

Terça a Sexta-Feira às 17h

Toda Sexta-Feira da Quaresma, Caminhada Penitencial com Missa às 6h.

Sábado às 19h

Domingo às 7h, 9h, 11h e 19h

Confissões

Quarta e sexta-feira:  das 14h às 16h 

Comentário

Your email address will not be published.Required fields are marked *

Facebook Twitter Instagram YouTube